Financiamento

A aquisição de financiamento às atividades de I&D constitui um dos aspetos essenciais para o sucesso de um política de ciência. Neste contexto a Universidade Lusófona procura regularmente atrair financiamento seja de fontes públicas nacionais como a FCT ou o programa P2020 ou de programas Europeus como o H2020, Erasmus + e Creative Europe, ou ainda de entidades privadas nacionais e europeias que a si se associem em iniciativas de I&D e transferência de conhecimento.

  • PT2020 - PORTUGAL 2020

    PT2020 - PORTUGAL 2020

    Trata-se do ACORDO DE PARCERIA adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 Fundos Europeus Estruturais e de Investimento - FEDER, Fundo de Coesão, FSE, FEADER e FEAMP - no qual se definem os princípios de programação que consagram a política de desenvolvimento económico, social e territorial para promover, em Portugal, entre 2014 e 2020.

    Estes princípios de programação estão alinhados com o Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo, prosseguindo a ESTRATÉGIA EUROPA 2020.

    Portugal vai receber 25 mil milhões de euros até 2020, para tal definiu os Objetivos Temáticos para estimular o crescimento e a criação de Emprego, as intervenções necessárias para os concretizar e as realizações e os resultados esperados com estes financiamentos.

    Estímulo à produção de bens e serviços transacionáveis; Incremento das exportações; Transferência de resultados do sistema científico para o tecido produtivo; Cumprimento da escolaridade obrigatória até aos 18 anos; Redução dos níveis de abandono escolar precoce; Integração das pessoas em risco de pobreza e combate à exclusão social; Promoção do desenvolvimento sustentável, numa óptica de eficiência no uso dos recursos; Reforço da coesão territorial, particularmente nas cidades e em zonas de baixa densidade; Racionalização, modernização e capacitação da Administração Pública, são os principais objetivos das poliíticas a prosseguir no Portugal2020.

    Merece ainda destaque a Estratégia de Investigação e Inovação de Portugal para uma Especialização Inteligente nas suas componentes NACIONAL e REGIONAIS: NORTE | CENTRO | LISBOA | ALENTEJO | ALGARVE | AÇORES | MADEIRA - aprovada a 23 de dezembro de 2014, que identifica as grandes apostas estratégicas inteligentes, que são temas com especialização científica, tecnológica e económica, nos quais Portugal e as suas regiões detêm vantagens comparativas e competitivas ou que revelaram potencial de emergir como tais. O alinhamento com essas estratégias constitui obrigatoriedade na concretização dos investimentos do Portugal 2020 em Investigação, Desenvolvimento tecnológico e Inovação (OT 1) e prioridade noutros casos, como por exemplo, no âmbito dos apoios à competitividade das PME (OT 3).

     

    Por iniciativa das autoridades portuguesas foi efetuada a AVALIAÇÃO EX ANTE DO ACORDO DE PARCERIA, sustentada num processo interativo de reflexão que reforçou o escrutínio das principais escolhas estratégicas.

    QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional

    QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional

    O QREN assume como grande desígnio estratégico a qualificação dos portugueses e das portuguesas, valorizando o conhecimento, a ciência, a tecnologia e a inovação, bem como a promoção de níveis elevados e sustentados de desenvolvimento económico e sócio-cultural e de qualificação territorial, num quadro de valorização da igualdade de oportunidades e, bem assim, do aumento da eficiência e qualidade das instituições públicas.

    A prossecução deste grande desígnio estratégico é assegurada pela concretização, com o apoio dos Fundos Estruturais e do Fundo de Coesão, por todos os Programas Operacionais, no período 2007-2013, de três grandes Agendas Operacionais Temáticas, que incidem sobre três domínios essenciais de intervenção, o potencial humano, os factores de competitividade da economia e a valorização do território:

    • Agenda Operacional para o Potencial Humano
    • Agenda Operacional para os Factores de Competitividade
    • Agenda Operacional para a Valorização do Território

    A concretização destas três Agendas Temáticas é operacionalizada, no respeito pelos princípios orientadores assumidos pelo QREN - da concentração, da selectividade, da viabilidade económica e sustentabilidade financeira, da coesão e valorização territoriais e da gestão e monitorização estratégica - pelos seguintes Programas Operacionais:

    • Programas Operacionais Temáticos - Potencial Humano, Factores de Competitividade e Valorização do Território - co-financiados respectivamente pelo Fundo Social Europeu (FSE), pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e, conjuntamente, pelo FEDER e Fundo de Coesão
    • Programas Operacionais Regionais do Continente - Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve - co-financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional
    • Programas Operacionais das Regiões Autónomas - dos Açores e da Madeira - co-financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e pelo Fundo Social Europeu
    • Programas Operacionais de Cooperação Territorial Transfronteiriça (Portugal-Espanha e Bacia do Mediterrâneo), Transnacional (Espaço Atlântico, Sudoeste Europeu, Mediterrâneo e Madeira-Açores-Canárias), Inter-regional e de Redes de Cooperação Inter-regional, co-financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e pelo Fundo Social Europeu
    • Programas Operacionais de Assistência Técnica, co-financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e pelo Fundo Social Europeu

    FCG - Fundação Calouste Gulbenkian

    FCG - Fundação Calouste Gulbenkian

    A Fundação desenvolve uma vasta actividade em Portugal e no estrangeiro no quadro dos seus fins estatutários, através de actividades directas, subsídios e bolsas.

    Dispõe de uma Orquestra e de um Coro que actuam ao longo do ano no âmbito de uma temporada regular; realiza exposições individuais e colectivas de artistas portugueses e estrangeiros; promove conferências internacionais, colóquios, cursos; distribui subsídios e concede bolsas de estudo para especializações e doutoramentos em Portugal e no estrangeiro; apoia programas e projectos de natureza científica, educacional e artística; desenvolve uma intensa actividade editorial, sobretudo através do seu plano de edições de manuais universitários; promove e estimula projectos de ajuda ao desenvolvimento com os países africanos de língua portuguesa e Timor-Leste; promove a cultura portuguesa no estrangeiro; desenvolve um programa de preservação dos testemunhos da presença portuguesa no mundo.

    Paralelamente às suas actividades em Portugal e no estrangeiro, de promoção da cultura portuguesa, a Fundação desenvolve um programa de actividades em prol da Diáspora Arménia para a disseminação da sua língua e cultura.

    No plano internacional, a Fundação pertence ao European Foundation Centre (EFC) e está presente em diversos fóruns no campo artístico, de ajuda ao desenvolvimento, científico e educativo.

    FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia

    FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia

    A missão da FCT é promover continuadamente o avanço do conhecimento científico e tecnológico em Portugal, explorando oportunidades que se revelem em todos os domínios científicos e tecnológicos de atingir os mais elevados padrões internacionais de criação de conhecimento, e estimular a sua difusão e contribuição para a melhoria da educação, da saúde e do ambiente, para a qualidade de vida e o bem estar do público em geral.

    Esta missão concretiza-se principalmente através da concessão de financiamentos na sequência de avaliação de mérito de propostas de instituições, equipas de investigação e indivíduos apresentadas em concursos públicos, e também através de acordos de cooperação e outras formas de apoio em parceria com universidades e outras instituições públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro.

  • H2020 - Horizonte 2020

    H2020 - Horizonte 2020

    O Horizonte 2020 – Programa-Quadro Comunitário de Investigação & Inovação, com um orçamento global superior a 77 mil milhões de euros para o período 2014-2020, é o maior instrumento da Comunidade Europeia especificamente orientado para o apoio à investigação, através do cofinanciamento de projetos de investigação, inovação e demonstração.

    O apoio financeiro é concedido na base de concursos em competição e mediante um processo independente de avaliação das propostas apresentadas.

    Três pilares principais e quatro programas específicos

    O pilar Excelência Científica tem por objectivo o reforço e extensão da excelência das bases científicas da UE, e a consolidação da Investigação Europeia de modo a tornar os sistemas de investigação e inovação mais competitivos a uma escala global. Os principais programas deste pilar são:

    • European Research Council (ERC) providenciará financiamentos atrativos e flexiveis que permitam aos investigadores mais criativos e talentosos, e suas equipas, possibilidade de explorar novas vias de fronteiras científicas com base numa competição a uma escala Europeia
    • Future and Emerging Technologies (FET) apoiará investigação colaborativa entre instituições Europeias permitindo maximizar a capacidade de conduzir projectos que representem uma ruptura inovadora para com os paradigmas existentes em espaço Europeu
    • Bolsas Marie Skłodowska-Curie para formação em investigação, bem como para o lançamento de oportunidades para a troca de conhecimentos pela mobilidade entre países e profissionais de diferentes sectores, a fim de preparar os investigadores para os presentes, e futuros, desafios societais
    • Infraestruturas de Investigação para o desenvolvimento de infraestruturas de gestão para projectos sobre a alçada do H2020, e outros programas, fomentando o seu potencial de inovação e capital humano, relacionando-as com as políticas da UE da cooperação internacional

    O pilar Liderança Industrial por forma a assegurar o primeiro círculo, a UE prevê um acrescido investimento em tecnologias essenciais, bem como um maior apoio às PME.

    Assume três principais objectivos:

    • Liderança Industrial em Inovação
    • Acesso a financiamentos de risco
    • Inovação em PME

    O pilar Desafios Societais que reflecte as principais prioridades das políticas europeias para que a sua estratégia vá de encontro às principais problemáticas partilhadas pelos cidadãos Europeus, e do Mundo.

    Este pilar será dedicado aos seguintes desafios:

    • Saúde, bem-estar e mudanças demográficas
    • Segurança alimentar, agricultura e florestação sustentáveis, investigação marinha, marítima e fluvial e bioeconomia
    • Energia segura, ecológica e eficiente
    • Transporte inteligente, ecológico e integrado
    • Acções climáticas, de ambiente, de eficiência de recursos e de matérias-primas
    • A Europa num mundo em mundança - sociedades inclusivas, inovadoras e reflectivas
    • Sociedades seguras - protecção da liberdade e segurança da Europa e seus cidadãos

    O Programa Disseminar a Excelência e Alargar a Participação permitirá às àreas de investigação europeia um funcionamento mais linear e homogeneo, permitindo uma maior optimização das mais-valias apresentadas por cada Estado-Membro

    O Programa Ciência com e pela Sociedade tem como objetivo a construção de uma cooperação eficiente entre a ciência e a sociedade, visando o recrutamento de novos talentos em âmbito científico para aliar a excelência científica, com a consciencialização e responsabilidade social.

    O European Institute of Innovation and Technology (EIT) procura trazer uma mudança real e a longo-prazo da inovação em contexto europeu criando novos ambientes onde educação superior, investigação, administrações públicas e empresas trabalham conjuntamente para produzir inovações disruptivas.

    O Programa Euratom dedicado a investigação nuclear, e formação dividindo-se em dois principais focos:

    • fissão nuclear e protecção contra radiações
    • investigação de fusão com o objetivo de a desenvolver por confinamento magnético como fonte de energia

    COST – European Cooperation in the Field of Scientific and Technical Research

    COST – European Cooperation in the Field of Scientific and Technical Research

    O COST – European Cooperation in the field of Scientific and Technical Research – é o mais antigo e mais amplo quadro europeu de coordenação de actividades de investigação financiadas a nível nacional.

    Baseia-se num quadro intergovernamental de cooperação, acordado numa Conferência Ministerial que teve lugar em Novembro de 1971, em Bruxelas, e que envolveu 19 países europeus. Actualmente são membros da COST 34 países europeus mais um cooperante (Israel).

    Missão

    A missão da COST é fortalecer a investigação científica e técnica na Europa através do apoio à cooperação e interacção entre investigadores europeus.

    O seu objectivo é maximizar a sinergia europeia e valor acrescentado em investigação não competitiva e pré normativa.

    Os fundos proporcionados pela COST apoiam os custos de coordenação de redes de investigação (Acções), cuja investigação é financiada a nível nacional.

    Actualmente estão em curso mais de 200 Acções, envolvendo cerca de 30 000 investigadores.

    A COST é considerada um elemento chave do Espaço Europeu de Investigação.

    Domínios Científicos

    A COST desenvolve as suas actividades em 9 domínios científicos:

    CYTED - Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento

    CYTED - Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento

    O Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (CYTED) foi criado em 1984 através de um Acordo de Âmbito Inter-Institucional assinado por 19 países da América Latina, Espanha e Portugal.

    O Programa CYTED é definido como um programa inter-governamental de cooperação multilateral em Ciência e Tecnologia, que contempla diferentes perspectivas e visões para fomentar a cooperação em Investigação e Inovação para o desenvolvimento da Região Ibero-americana.

    O Programa CYTED tem como objectivo principal contribuir para o desenvolvimento harmonioso da Região Ibero-americana através do estabelecimento de mecanismos de cooperação entre grupos de investigação das Universidades, Centros de I&D e Empresas inovadoras dos países ibero-americanos, que pretendem a consecução de resultados científicos e tecnológicos transferíveis aos sistemas produtivos e às políticas sociais.

    Desde 1995, o Programa CYTED encontra-se formalmente incluído entre os Programas de Cooperação das Cimeiras Ibero-americanas de Chefes de Estado e de Governo.

    Erasmus Plus

    Erasmus Plus

    O programa ERASMUS + visa a ultrapassagem da atual crise europeia, colmatando as falhas socioeconómicas com que a Europa se depara na presente década, nomeadamente a desintegração e desigualdade sociais, principalmente entre a população jovem.

    Através de ações nas áreas da educação, formação, juventude e desporto, impulsionará o crescimento e desenvolvimento de postos de trabalho, tal como a formação de trabalhadores aptos à execução dos mesmos, tomado especial atenção na criação de oportunidades de financiamento e mobilidade.

    O programa da União Europeia, terá uma duração de sete anos, iniciando-se no ano vigente, e conta já com um orçamento de 14.774 biliões.

    Estão convidados a participar no programa todos os indivíduos estudantes, aprendizes, jovens, voluntários, professores, formadores, jovens trabalhadores, profissionais de organizações ativas nos campos da educação, formação e juventude, que poderão candidatar-se associando-se a organizações, grupos ou instituições participantes, sediadas nos diversos países.

    O Erasmus+ acenta em três pilares de ação (Key Actions), que pelo seu desenvolvimento conjunto promoverão o sentido de sinergia, cooperação e intercâmbio de ideias presente no projeto.

    KEY ACTIONS

    KA1
    Mobilidade de Indivíduos para Educação

    • Mobilidade de alunos e trabalhadores: Oportunidades para professores, estudantes e instituições educativas de terem experiências profissionais e/ou de aprendizagem noutro país.
    • Associação para Mestrados: Atribuição de bolsas de estudo integradas, em programas de estudo internacionais, por instituições de ensino superior, aos melhores alunos mundiais de mestrado.
    • Abonos para empréstimos a estudantes de Mestrado: O programa presta apoio a empréstimos bancários a estudantes do ensino superior, na formação em Mestrados no estrangeiro.

    A Key Action 1, prevê a criação de oportunidades para candidatos individuais melhorarem as suas competências, fomentarem as suas probabilidades de empregabilidade e ganharem uma maior consciencialização cultural.

    KA2
    Cooperação para a inovação e para a troca de boas práticas

    • Parcerias estratégicas transnacionais: Visam o desenvolvimento coordenado em vários campos de educação e formação, promovendo a inovação, troca de experiências e conhecimentos, entre os diferentes tipos de organizações envolvidas nestes mesmos campos.
    • Aliança de Conhecimentos: Colaboração entre instituições de ensino superior e empresas promotoras da inovação, empreendedorismo, criatividade, empregabilidade, troca de conhecimentos e/ou ensinamentos e aprendizagens multidisciplinares.
    • Aliança de Capacidades de Sectores: Desenvolvimento de programas e métodos de ensino, direcionados para a formação vocacional, aliando as tendências de sectores económicos específicos e as técnicas necessárias para os mesmos, de modo que atuem nos diversos campos profissionais.
    • Construção de Capacidades: Apoio a organizações e instituições na cooperação com os países parceiros, nos campos da educação superior e juventude, visando o seu processo de modernização e internacionalização.
    • eTwinning/European Platform for Adult Learning (EPALE)/European Youth Portal (IT platforms): Oferta de espaços de colaboração virtual, bases de dados de oportunidades e serviços online para todos os envolvidos, na Europa.

    A Key action 2, prevê a criação de oportunidades para que organizações de diferentes países colaborem conjuntamente para o desenvolvimento, partilha e troca das melhores práticas e das abordagens mais inovadoras nos campos da educação, formação e juventude.

    KA3
    Apoio a reformulação de políticas

    • Conhecimento nas áreas da educação, formação e juventude: Promovendo o desenvolvimento de uma política informada e consciente, de acordo com quadro previsto da Europa em 2020, particularmente:
      • Análises temáticas e específicas a cada país através da cooperação com as redes académicas.
      • Aprendizagem e revisão em grupo através do Open Methods of Coordination, nas áreas da educação, formação e juventude.
    • Iniciativas de prospeção: Para o estímulo do desenvolvimento de políticas inovadoras junto dos stakeholders e para possibilitar as autoridades públicas a testarem a eficiência das políticas inovadoras por testes de campo baseados em metodologias de avaliação de som;
    • Apoio às ferramentas de política Europeias: Facilitando a transparência e reconhecimento das habilidades e qualificações,formais e informais, através de redes de cruzamento de informação Europeias, proporcionando uma mobilidade e aprendizagem mais flexível para os cidadãos, dentro dos campos da educação, formação e juventude.
    • Cooperação com organizações internacionais: Organizações com especialidade reconhecida e capacidade analítica (como a OECD ou o Conselho Europeu), que fortalecerão o impacto e valor adicionado das políticas nos campos já referidos.
    • Diálogo, política e promoção do programa: Ações junto das partes interessadas como autoridades públicas, fornecedores e stakeholders, nas áreas da educação, formação e juventude, são necessárias para promover os programas Europe 2020, Education and Training 2020, the European Youth Strategy e outros programas europeus dentro do sector. São ainda essenciais para a exploração efetiva dos resultados do programa, gerando um impacto tangível.

    A Key Action 3, providencia financiamentos para um variado leque de ações que tenham como objetivo o estímulo de uma política inovadora e em contínuo desenvolvimento, para o estabelecimento de diálogos sobre as políticas existentes e para a implementação de novas bem como para a transferência de conhecimentos nos campos da educação, formação e juventude.

Questões?

Contacte-nos

Subscreva a nossa newsletter

  • Sabia que... Comissão Europeia
  • Sabia que... Ciência e a Tecnologia (FCT)
  • Sabia que... Erasmus +
  • Sabia que... Grupo Lusófona
  • Sabia que... Programa -Quadro de I&DT (GPPQ)
  • Sabia que... ações COST
  • Sabia que... Ciência e a Tecnologia (FCT)
  • Sabia que... Comissão Europeia

    Os seus projetos de formação, desde que que possuam reconhecido interesse Europeu podem ser financiados pela Comissão Europeia? O programa de financiamento Erasmus + é uma oportunidade a não perder.

    Saiba mais

  • Sabia que... Ciência e a Tecnologia (FCT)

    A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) apoia a internacionalização dos nossos investigadores? Se está a preparar uma candidatura e precisa de financiamento para se deslocar ao estrangeiro, esta é a melhor opção.

    Saiba mais

  • Sabia que... Erasmus +

    Se possui um consórcio de parceiros fora da Europa também candidatar-se a financiamento Europeu? Veja o programa Erasmus + que veio substituir o Alfa, Edu-link e o Tempus, que visa a cooperação para a inovação e o intercâmbio de boas práticas.

    Saiba mais

  • Sabia que... Grupo Lusófona

    O Grupo Lusófona e seus investigadores dispõem de uma estrutura de promoção, apoio e coordenação de atividades de investigação científica? O ILIND- Instituto Lusófono de Investigação e Desenvolvimento aguarda o seu contacto.

    Saiba mais

  • Sabia que... Programa -Quadro de I&DT (GPPQ)

    O Gabinete de Promoção do Programa -Quadro de I&DT (GPPQ) promove e apoia a participação das comunidades científicas no Horizonte 2020? Pode inscrever-se gratuitamente nas sessões de esclarecimento e nos workshops.

    Saiba mais

  • Sabia que... ações COST

    As ações COST promovem atividades de investigação em domínios específicos e que pode pedir adesão a uma rede com financiamento já aprovado?

    Saiba mais

  • Sabia que... Ciência e a Tecnologia (FCT)

    A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) apoia reuniões científicas, realizadas em Portugal, de reconhecido mérito e elevada dimensão, com forte participação internacional e impacto na comunidade científica nacional e internacional? Se está a pensar organizar uma conferência, prepare atempadamente a sua candidatura.

    Saiba mais

Universidade Lusófona

Universidade Lusófona

Campo Grande, 376, 1749-024 Lisboa, Portugal

Visite-nos

Universidade Lusófona do Porto

Universidade Lusófona do Porto

Rua Augusto Rosa, 24, 4000-098 Porto, Portugal

Visite-nos